Tudo começou quando nasci!

Descendente de italianos e portugueses, já dá pra saber o que me esperava: uma bela mesa! Posso dizer que passei grande parte da minha infância e adolescência vendo e auxiliando meus pais cozinharem e comercializarem produtos fabricados em uma pequena cozinha semi – industrial, instalada de maneira improvisada dentro da nossa casa. Dezembro era o favorito dos meses, pois meu pai fazia centenas de panetones totalmente artesanais, e o cheirinho da massa fermentando era simplesmente indescritível de tão gostoso. Lembro como se fosse ontem, dos inúmeros testes que ele fizera em busca de fermento e conservantes naturais e de um aroma genuíno, característico daquela receita tradicional que ele personalizava. Lembro também das  vezes em que meus pais assumiam compromissos para entregas, e com o objetivo de cumprirem com os prazos, trabalhávamos pesado por períodos  extenuantes;  até tarde da madrugada para que no raiar do dia estivesse tudo  fresquinho, pronto para o cliente.

… E nessa divagação, fecho os olhos e noto que essa história, de certo modo, se repete, se transfigura e transcende no que hoje é o  “Sossega Ofélia”: um projeto em construção e foi e que está se adaptando e se transformando com o passar dos dias. Nasceu de uma grande vontade de empreender e de mostrar uma alternativa aos nossos hábitos alimentares através da experiência cotidiana, da pesquisa, da observação e do conhecimento verbal – transmitido de geração em geração. Nesse caminhar, percebi que o mercado e que as oportunidades eram um pouco diferentes daquilo que eu imaginava.

Como toda pesquisa traz conhecimento e mudanças, o direcionamento da marca para o mercado vegetariano estrito / vegano foi algo natural e muito recompensador, e devido a esse novo direcionamento, pude me desligar da profissão que eu exercia há quase quinze anos para me dedicar inteiramente ao Sossega.

O Nome “Sossega Ofélia” é uma homenagem simultânea à três personalidades: minha mãe, a Dona Vânia, cozinheira criativa e de “mão cheia” (minha grande referência) ;  à culinarista brasileira Ofélia, que escreveu vários livros de receitas abordando a culinária brasileira, italiana e portuguesa, além de ser a pioneira de programas culinários na TV ( lembro de assistir, junto com minha mãe, a alguns episódios da “Maravilhosa Cozinha de Ofélia) ; e também a “Ophelia”, personagem de Shakespeare que morre de amor, em sua obra “Hamlet”. Essa doação, sacrifício e paixão, no meu entender hoje, tem toda a relação com o trabalho na cozinha, que ainda que improvisada mas quase já adequada, exige de nós o extremo de nossas forças.

Do neologismo “divertisidade culinária” para a “culinária vegana” não foi um pulo. Foram passos e mais passos buscando uma forma de encontrar um lugar ao sol. Envolveu mudanças de conceito, inclusive nos meus hábitos alimentares – que embora ainda não sejam totalmente desprovidos de alimentos de origem animal, mudaram muito e influenciaram muita gente a pensar diferente!

A culinária brasileira recebeu ao passar do anos influências de praticamente todas as partes do mundo, e mesmo as mais improváveis, são diluídas aqui e ali no tempero nosso de cada dia. Cada família, cada costume, cada descendência nossa, carrega uma expressão embotada de história, de carinho, de tradições e de mudanças – afinal no se transmitir receitas e modos de fazer por gerações, natural que algumas coisas se modifiquem, assumam novas e diversas identidades, e ainda, imprimam em seus sabores, perfumes e cores sua mais íntima personalidade. E é aí ganhamos uma faceta incrivelmente desafiadora: buscar nas receitas tradicionais alternativas que substituíssem os ingredientes de origem animal. Tem muito trabalho de pesquisa, teste, erros e acertos por aí.

Se antes queríamos apenas ser um blog que falava sobre gastronomia e outros assuntos de um jeito gostoso e particular e não tinha muita pretensão de comercializar produtos, hoje queremos sim, e queremos esse produto diferenciado com a mesma base da proposta inicial:  A “divertisidade” culinária do “Sossega Ofélia”, – que hoje é essencial e exclusivamente de origem vegetal –  pretende levar esse jeito muito particular de preparar a comida para dentro da casa das pessoas, mostrar o prazer incutido nos sabores e nos preparos e provocar as sensações mais adversas para que cada um sinta-se a vontade em experimentar, trocar, inverter, e principalmente, demonstrar a diversão e a delícia de se preparar a própria refeição; afinal embora hoje ofereçamos produtos congelados, esses produtos não são refeições inteiras, mas complementos, sempre com ingredientes mais naturais, tanto quanto for possível, sem temperos industrializados, sem estabilizadores de sabor, sem reguladores, sem ingredientes de nomes impronunciáveis!

Quanto às receitas, bem…. elas vão rolar sim, e muito. E mais, muito mais para os próximos anos, afinal a ideia é ampliar o diálogo e aproximar o público!

 

Por isso, “sossega aí” que estamos na área!

Um abraço sossegado, 

Priscila Dal Bosco,

Designer de mobiliário não atuante, atual cozinheira e sócia gerente do Sossega Ofélia! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *